top of page

O que a CNV, Coaching e Barras de Access Consciousness tem em comum?

Atualizado: 6 de set. de 2023


A Comunicação! E que obviamente se tornou o tema central dos meus estudos desde então, tanto no universo verbal quanto no universo visual.


Nessa jornada fui aprendendo técnicas poderosas e implementando no meu dia a dia, em minha comunicação e nos meus atendimentos.


O Coaching foi o meu primeiro processo de aprendizagem, sou formada pela Sociedade Brasileira de Coaching, e ao estudar para complementar e aprimorar os meus atendimentos, foi que eu realmente entendi "O Poder das Perguntas", embora o processo todo esteja amparado em ferramentas estratégicas, o divisor de águas e a diferenciação de um bom Coach é a experiência e habilidade em fazer as perguntas certas no momento certo. Hoje utilizo o Coaching e a PNL também nos meus atendimentos de desenvolvimento de Marca Pessoal.

O próximo passo foi estudar e praticar CNV, Comunicação Não Violenta, hoje já sou uma facilitadora dessa técnica que basicamente foi criada para resolução de conflitos, mas que tem um poder incrível de mudança e transformação. Você pode entender mais sobre CNV nessa página: https://www.biaferraz.com.br/cnv-comunicacao-nao-violenta

E então vieram outros conhecimentos adquiridos através dos atendimentos, clientes que se tornaram grandes amigas e que recomendo você a ir conhecer cada uma delas: Dra. Carolina Bemmfica e Sabrina Harumi. E tem também a Regina Boinaovsky, uma amiga / parceira desse universo digital, e todas são as melhores facilitadoras de Barras de Access que tive a oportunidade de conhecer.

Elas me despertaram para conhecer um pouco mais sobre Barras de Access. Nessa técnica eu sou apenas apreciadora das "Perguntas Poderosas", e então resolvi estudar para aplicar no meu dia a dia.


Vou compartilhar com você o que Barras de Access Consciounsness me ensinou e que está muito relacionado à comunicação intra e interpessoal, como por exemplo:

A não usar frases como "preciso" ou "tenho".

O conceito é de que a pessoa já tem todo o poder, então não "precisa" de nada.

Por isso, você pode falar coisas como "É interessante", "Fica mais fácil quando..." e outras expressões mais colaborativas, como usar "eu gosto" ou "gostaria de", "me dá mais paz de espírito" frases nesse sentido.

A ideia é deixar as pessoas mais livres para tomar as próprias decisões e “criar” ou “manifestar” a sua própria vida.


Sobre os termos “quero” e “desejo”

É importante deixar claro que nós queremos algo porque acreditamos que é bom para nós, ou que é uma boa experiência. Como por exemplo, "quero criar boas experiências", "desejo abrir minha mente".


A idéia é não colocar pressão em nós mesmos, mas ainda manter as coisas na nossa consciência. E isso faz parte do conceito de "Suas palavras criam seu mundo", que é algo muito importante no acesso à consciência.

Não é uma ideia de que você pode mágicamente mudar o mundo à sua volta com as suas palavras, mas sim de que você pode alterar a sua percepção e colocar a energia de uma maneira melhor para si mesmo e para outras pessoas.

Pensar e ajustar quais termos / palavras deve utilizar para expressar suas intenções, a fim de que você use a sua energia e as palavras de uma forma mais colaborativa, positiva e trabalhosa. É uma forma de ter mais consciência e sem pressionar você.


Talvez você possa começar substituindo os termos por ”gostaria", "me sinto feliz", "me sinto confortável", "aprecio" e outras expressões nessa linha.


Isso pode ser uma forma de expressar o que você quer e aqui alinhamos com CNV, expressar o que se quer, não o que não se quer.


O termo "tenho que" é um dos termos mais usados em uma linguagem de pressão. O problema é que ele pressiona a nós mesmos a fazer algo, mesmo que não seja uma escolha nossa, ou algo que gostaríamos de fazer. Além disso, ele implica uma forma de obrigação, ou algo que temos que fazer por força.


Como substituir o termo tenho?

Uma forma de substituir esse termo é usar expressões como "gostaria", "escolho", "vou" ou "escolhi". A ideia é deixar claro que isso é algo que você quer, e não algo que você "precisa". Isso ajuda a fazer com que você se sinta mais livre e aberto(a) para fazer o que realmente deseja.


Por exemplo eu falo muito: eu tenho / preciso trabalhar.

Uma forma que encontrei de substituir essa frase foi "escolho trabalhar”.

Demonstra que não estou trabalhando porque preciso, mas porque escolhi, e acredito ser importante ou significativo. A mesma coisa para outras situações, como "escolho ajudar o meu amigo", "escolho cuidar do meu bem-estar" "escolho buscar as minhas filhas na escola", "escolho fazer academia", "escolho comer melhor" ou "escolho relaxar".


Outra alternativa é usar expressões como "vou", "deverei" ou "planejo". Por exemplo: “planejo trabalhar nisso essa semana.” Demostra que você está tomando uma atitude ativa, e que você está assumindo o controle sobre suas decisões e sua vida. Você não está se sentindo forçado(a) a fazer algo, mas está escolhendo fazer.


Acredito que é importante ter a consciência de como as palavras que usamos podem alterar nossa percepção sobre nós mesmos e sobre a vida.


Acredito também que você irá se sentir mais fortalecida(o) consciente de si e feliz ao alterar a sua comunicação. Não é um processo rápido, mas vale muito a pena!

Eu tenho colhido os benefícios dessa prática :)


E como disse lá acima no texto, Barras de Access também tem "Perguntas Poderosas", então bora aprender mais um pouco?

A técnica além de pressionar pontos específicos em nosso corpo, consiste em responder a uma série de perguntas que ajudam a repensar sobre nossos pensamentos, sentimentos e ações. O objetivo é encontrar as crenças que nos impedem de evoluir e substituir por crenças que nos auxiliam.

Você está pronto(a) para desafiar algumas das suas crenças e ideias?

Vamos às perguntas-chave da Barras de Access, chamadas DPP e PP.

As siglas DPP e PP significam Desiderata, Potência e Projeção, respectivamente. O DPP serve para ajudar a identificar o que você realmente deseja, e as coisas que você precisa. O PP serve para ajudar a identificar quais são as coisas que você pode fazer, e as coisas que você está projetando.

A primeira, DPP, consiste em responder às perguntas:

- O que você deseja?

- O que você precisa?

- O que você pretende fazer?

- O que é importante pra você?

O segundo bloco de perguntas, PP, consiste em responder as perguntas:

- O que você pode fazer?

- O que você pode fazer agora, para mudar as coisas?

- O que você pode fazer agora, para sentir-se melhor?

- O que você pode fazer agora, que você não está fazendo?

- O que você pode fazer agora, que está fora do seu controle?


"O que você está projetando?". As pessoas tendem a projetar algumas coisas, como ressentimento, ansiedade, frustração e sonhos. Você pode pensar em alguma coisa que você esteja projetando, ou algum sentimento que você está projetando em outras pessoas? Então te convido a refletir sobre suas respostas.


Depois que aplicar e responder as perguntas, me conta o que aprendeu e vem compartilhar por aqui.

Te espero!


73 visualizações3 comentários

3 kommentarer


Edinilson Slabei
Edinilson Slabei
04. aug. 2023

Sensacional o conteúdo e a profundidade do que foi expresso no artigo. Consegui identificar em alguns aspectos onde precisava melhorar minha comunicação, pois algumas vezes no automático e na pressa do dia a dia não paramos para olhar o detalhe das palavras... O poder está na comunicação assertiva!


Muito bom! 🦅🦅

Lik

Rico texto! Exercício para quem tem uma empresa e não tem a quantidade de pessoas para colaborarem nas atividades que sanarão necessidades, realizarão desejos e sonhos e precisa fazer o que deve ser feito. Torna mais leve quando há consciência do propósito e dos objetivos.

Lik
Bia Ferraz
Bia Ferraz
02. aug. 2023
Svarer

Aprender a se comunicar de forma eficiente, é encantador!

Lik
bottom of page